Ser (um) Humano

“Be Human” (Ou, “Ser (um) Humano”) é uma música que faz parte da trilha sonora do excelente  anime Ghost in the Shell. Você pode até nutrir uma certa ojeriza por animes e outras coisas do outro lado do mundo (às vezes, é até justificado), mas acredito que o que realmente é bom deve ser exaltado.

Contextualizando rapidamente, a trama de Ghost in the Shell se passa num futuro não muito distante (cerca de 2037), no qual máquinas com “inteligência” convivem com pessoas. Acompanhamos o dia-a-dia da Seção 9, uma divisão de elite que investiga e combate crimes que aparecem nessa nova sociedade absolutamente transformada, com enfoque para os questionamentos morais e éticos que surgem daí. Uma característica marcante em Ghost in the Shell é que, frequentemente, somos levados a (re)pensar um pouco nas “definições” que damos para vida, consciência e emoções.

Tachikoma

Tachikoma

Leia o resto deste post »

Anúncios

Soul Calibur – The Oath (Guitar Version)

Oath: uma promessa solene, feita invocando algo maior, divino, sagrado. Um juramento.


Vanilla Mood – Haku

A palavra “haku” significa “branco” ou uma substância frequentemente encontrada em fósseis, e assim é atribuído um significado de ‘eternidade’ à palavra. Leia o resto deste post »


DC++ – O compartilhador que não precisa de você

E, muito provavelmente, você também não precisa dele. Leia o resto deste post »


Você já viu música?

Uma foto do meu techo preferido da “Clair De Lune”

Eu gosto muito² de música. Se não mexesse com computadores, seria músico. Ou psicólogo. Mas enfim, há certas músicas que mexem com a gente, ou como diriam, “nossa vida tem trilha sonora”. E uma dessas músicas que me toca é a “Clair de Lune”, de Claude Debussy. Leia o resto deste post »

John Denver – Perhaps Love

Perhaps love is like a resting place, a shelter from the storm
It exists to give you comfort, it is there to keep you warm
And in those times of trouble when you are most alone
The memory of love will bring you home Leia o resto deste post »


Xuxa Preta

Escutando um dois muitos álbuns que nunca ouvi, mas faço questão de guardar, achei esta sublime pérola. Atente para as mensagens quase subliminares de indicação de consumismo exarcebado pela sociedade judaico-cristã ocidental. Leia o resto deste post »