Relatos de Feira – Parte 5 de lim x com x tendendo ao infinito

(Ouvindo: Joe Satriani – A Cool New Way – Super Colossal – 2006) 

Farra e Forró

Dia de Finados. Um feriado mórbido, mas cuja véspera foi bem viva. Mais uma vez, o pessoal da sala marcou de ir fazer alguma coisa no fim da aula, e mais uma vez pouca gente foi. Bem, isso não interessou tanto, visto que se está cultivando uma certa fidelidade por parte de quem está participando dos “reggaes”, como chamam(os). Aliás, esse bairro para o qual fomos é famoso pelos “raggaes”. É curioso e óbvio: um bairro tipicamente estudantil, onde há muitas festinhas e bares. E não haveria de ser assim? E não haveria de ser justamente o contrário?

Bar. Eu, particularmente, evito beber. Tenho medo do que eu poderia fazer em elevado estado etílico. Já não sou muito coerente quando sóbrio, quem o dirá de mim chapadão? Mas o pessoal não negou um bom vinho (e um certo Cortezano Tinto que quase deu briga =] ), enquanto eu ficava com meu Guaraná Antarctica. Diferente da outra vez, não estávamos mais no “Caminho de Casa”. Eu preferiria lá. E, como percebo estar se tornando costumeiro, surgiu a idéia de pegar um violão.

Eu que tô morrendo de saudades do meu instrumento prontamente aceitei. Mas antes fomos chamar um outro camarada que tava demorando. No meio do rolo, aproveitamos e pegamos foi o violão dele – no caso, do Léo.

Alguma afinação depois, o primeiro palpite de música não poderia ter sido mais brega: “Você é Luz” (sim, aquela mesma, do Wando). Não sei qual foi a maior surpresa: o pessoal acompanhando empolgado a canção ou o garçom repreendendo a animação. É que alguns moradores reclamaram do som de carros, do barulho etc, etc, e tinha sido proibido. Mas, caramba, um violão com cordas de náilon é baixo, e ainda fizeram questão? Ah, bar bom é o “Caminho de Casa”, onde até o garçom senta pra tocar com a gente!

Não se passaram dez minutos até a gente pedir a conta. Mas durante isso, o pessoal combinou de ir mais tarde pro “Fifó”, uma pequena casa de eventos do bairro. Lá toca forró pé-de-serra predominantemente, e baiano gosta muito de forró. E algumas pessoas decidiram ficar pra ir pra esse outro lugar depois. Eu não podia ir. Não gosto de incomodar quando moro na casa dos outros (eu nunca morei na casa dos outros, mas mesmo assim não gosto de incomodar); além disso, ainda tenho amargas frescas lembranças doces do último forró pro qual fui: coisa de gente besta.

Entre a conta do bar e o forró, mais farra. Na casa de um outro colega (camarada, que casa!), o pessoal encostou e tomou umas brejas. Não tardou a enjoarem dos violões e a pedirem forró no som do carro (aquecimento?). E o povo começou lá, se bem que os homens não acompanhavam o ritmo das nossas duas colegas que nos acompanhavam: pedimos arrego!! (“pedimos” não: eu sequer ousei!). Bem, a noite começou com um climão pra mim, fiquei logo com dor de cabeça, precisava ir. Não só eu, um outro colega iria viajar e um outro ia pra casa. O pessoal lamentou a despedida (tá vendo só? É disso que eu gosto na Bahia: gente gosta muito de gente! Claro, não é só na Bahia, mas aqui isso é bem explícito), mas entendeu a ida. Ainda bem que meu busão não demorou tanto, a dor era agora enxaqueca e eu não posso bobear com ela.

O resto da minha noite foi igual a todas as outras – dormir -, a não ser pelo fato de agora ter um locutor de festa no pé do ouvido (estava tendo uma outra festa perto do meu bairro). Custei, mas conseguir cair no sono. Bem, a noite do pessoal foi, segundo me contaram, bastante animada. Pra adiantar detalhes e não citar nomes, posso dizer que o índice de mulheres solteiras na turma caiu.

(Ouvindo: Joe Satriani – Why – The Extremist)


3 Comentários on “Relatos de Feira – Parte 5 de lim x com x tendendo ao infinito”

  1. bleno disse:

    Fala Andresson…Acredite, você já tem dois fãs do seu blog: Eu e um colega meu aqui da city. Show o seu blog…Ah, apostamos aqui que, antes de chegar os “Relatos de Feira – Parte 12” você vai tomar “uma brêja” com esta galera aí…Abraço brother…Saúde, paz e R$…[]´s

  2. NaTHy disse:

    Cacooooooo!!!To curiando seu blog agora tb, e sempre q o PBL não apertar, vou dar um jeitinho de passar aki…kkkkkAdorei todos os relatos de feira city…Chega dá saudades..a turma tá precisando sair mais p reguear!!kkkk..e beber um pouquinho de vez em qndo p afogar as magoas..hahahahaBjuxxxxxx

  3. sheyna disse:

    hehhehheVc e suas aventuras…Pow um dia desses quero escrever um texto enorme assim viu falando sobre algo interessante nesta cidade as vezes tão apática….Tu temé aventura pra contar ne moço?!Bjussssssss


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s