Texto sem título sobre a vida

A gente nasce. Cercado de gente que acha que sabe o que está fazendo. Gente que olha pra gente e acha que “que gracinha” é o mais certo a se dizer. Essa época é boa, pois a gente não acha nada. A gente só começa a achar que sabe alguma coisa quando se dá conta de que não sabe de nada. Leia o resto deste post »
Anúncios

Relatos de Feira – Parte 4 de não sei quantas

(Ouvindo Yasuo Sako – Je Te Veux – GT4 OST ~Classic Collection~ – 2005)

Farra

Pra variar, escrito no bloco de notas.

Sexta-feira. Um dia mágico, seu crepúsculo é um prelúdio do fim de semana. Todos os anseios são figurados na sexta-feira. Ainda que nenhum seja realizado, a iminência de ter tempo, coisa que falta qualquer estudante, faz de cada hora desse dia uma doce eternidade. Leia o resto deste post »


John Denver – Perhaps Love

Perhaps love is like a resting place, a shelter from the storm
It exists to give you comfort, it is there to keep you warm
And in those times of trouble when you are most alone
The memory of love will bring you home Leia o resto deste post »


Xuxa Preta

Escutando um dois muitos álbuns que nunca ouvi, mas faço questão de guardar, achei esta sublime pérola. Atente para as mensagens quase subliminares de indicação de consumismo exarcebado pela sociedade judaico-cristã ocidental. Leia o resto deste post »


Relatos de Feira – Parte 3 de talvez não tantas

Bem, olá a todos! 

Há tempos não tenho atualizado meu blog. Dentre outras coisas, há um esquema de ensino aqui chamado PBL – “Problem Based Learning”, considerado por alguns como um dos melhores sistemas de ensino (?) que existem. Consiste, basicamente, em jogar um problema na sua mão e mandar você resolver – que você resolve, depois de perder alguns cabelos, algumas noites e um pouco de saúde também. Realmente, o aprendizado é garantido, mas sob o alto custo de consumo massivo de tempo. Leia o resto deste post »


Relatos de Feira – Parte 2 de muitas.

Vota, Brasil?
Leia o resto deste post »